sexta-feira, 18 de Abril de 2008

A Expansão do socialismo

Com o fim da Segunda Guerra mundial, novos países passaram a adoptar sistemas socialistas. 8 Países europeus se tornaram socialistas. A China realizou sua revolução e no início da década de 1960, Cuba se tornou o 1º país latino-americano a aderir o bloco liderado pela URSS, que superou a devastação provocada pela guerra, mantendo os mesmos princípios anteriores a 1939. Não houve ruptura no campo político e social. Apenas a partir de 1953, com a morte de Estaline haveria alterações. Em 1956, então secretário-geral do partido comunista, fez veementes ataques o Estaline em relatório lido no 20 º congresso. A crítica estimulou a abertura política.

A expansão do mundo socialista - 1 Janeiro, 1945

Ao contrário dos EUA, a União Soviética ficou com as suas estruturas económicas seriamente afectadas pela guerra, o que lhe exigiu um enorme esforço de reconstrução. No entanto, a guerra permitiu-lhe afirmar o seu prestígio internacional e alargar a influência do socialismo na Europa.
Como sabes, nas conferências de Alta e de Postada reconhecera-se que os países do Leste europeu, libertados pelo Exército Vermelho, se integravam na zona de influência soviética. A manutenção de tropas soviéticas nesses países facilitou a ascensão dos partidos comunistas locais que, em poucos anos, entre 1946 e 1949, foram assumindo o controlo do poder. Também na Jugoslávia e na Albânia, onde os partias comunistas tinham conseguido derrotar os exércitos de Hitler, se instauraram, logo em 1945, regimes socialistas.

O Fim do Socialismo?

Introdução:

A queda do muro de Berlim e a derrocada do ex-império soviético propiciaram um terreno fértil para que surgisse a tese de F. Fukuyama sobre “O fim da História”, da luta de classes e das contradição entre o mercado e o Estado. Decorrida pouco mais de uma década, os vaticínios de Fukuyama e seus adeptos não deixam de ser ridículos, sobretudo à luz dos permanentes confrontos internos à imensa maioria das sociedades e as guerras travadas em todos os continentes.
A derrota dos socialistas franceses nas eleições de abril de 2002 e a ascensão da extrema direita liderada por Le Pen têm provocado interrogações e interpretações das mais diversas na mídia e nos meios acadêmicos e políticos, afirmando alguns peremptoriamente “o fim do socialismo”.
Efetivamente, o fenômeno Le Pen parece ser mais um elo na cadeia de expansão da extrema direita – xenófoba, racista e ultra-nacionalista – sobretudo, no continente europeu.
feito por:Cristiana Pereira nº3

Sem comentários: